Postagens

A galope

Imagem
Luiz era advogado-sócio-chefe do escritório de advocacia Serrano Tavares, ao contrário de mim, sempre gostara do meio jurídico, de modo que se sentia realizado na profissão. Apesar de parecermos muito diferentes, inclusive no visual, já que Luiz aprazeirava-se com o terno caro, bem cortado da marca Ermenegildo alguma coisa e o visual elegante, adequado ao meio jurídico e eu sempre naquele vestuário C & A, que passava porque não era jeans nem curto, mas sempre com cara de quem ansiava pelo tênis ou pelas Havaianas, mesmo assim mantínhamos amizade e camaradagem desde a faculdade e ao menos, uma vez por mês, almoçávamos juntos para colocar o papo em dia. Num desses almoços, numa sexta-feira, nos empolgamos mais do que de costume, fomos ao Bom Gosto, boteco da rua São Bento, que já tinha sido o Dix na nossa época de Mackenzie e que mantinha o mesmo garçom há mais de 30 anos, o Dino, nosso camarada. Pois bem, calhou que era aniversário do Dino, que feliz da vida nos presenteou com cervej…

Vida

Imagem
Ranhuras Rachadura O branco tenta, mas não fecha a fenda não cessa a vida Verde vem Vida insistida Folhas fênix Da cicatriz Do cal Ramos rugem Ruínas não Vida! Verdes brotam do ventre branco Racham Quebram Brigam Vencem Verdes vivem.
(exercício Oficina Literatura e Imagem com João Anzanello Carrascoza, SESC 24 de maio, 06/06/2018)

Meio Branco

Imagem
Meio branco aquele dia, enevoado, poucos carros, um ou outro ônibus, um táxi perdido. Era cedo, o relógio digital na esquina da Consolação com a Paulista me informava: 6:45 horas. Frio, muito frio, para mim, devia estar abaixo de 0°C, mas o mesmo digital informava: 5°C. Frio demais para um ser do calor, enfiei as mãos de luvas vermelhas nos bolsos do casaco cinza e desci a Consolação no andar rápido de pessoa atrasada, só diminuí o passo em frente ao cemitério: Olhos para o alto: as folhas das árvores dançavam e por entre elas, vi os primeiros raios de sol... Sorri antes de entristecer: “- As árvores da cidade, que vivem na poluição, florescem mais rapidamente porque vivem menos.. vida curta e florida.” Me disse Carol. Cheguei ao cursinho da rua Sergipe convencida de que teria uma vida longa, pois fui a última das amigas a florescer... Com este pensamento, recebi das mãos brancas do professor de geografia o simulado pré-vestibular. Sábado frio, árvores trêmulas e uma folha com muitas lacun…

2 textos para uma imagem

Imagem
1.Dói


Dói Corrói Destrói Menino Menino! Dormes? Acorda, menino! Acorda o mundo Já que não podes Acordar e ti mesmo

2.Foi-se
Água Cara na areia Morada da morte Forte Enfoque Choque Morte Morte Forte Corte Foi-se Foi-se Sonha Infância Criança Foi-se Vida Beleza Foi-se Esperança Veio Imagem Dor Vida Finda Morte Comoção Fundadora Imagem Sem resgate Sem esperança Foi-se De vermelho O menino Sem travessia Sem sorte Na água
(exercício Oficina Literatura e Imagem com João Anzanello Carrascoza, SESC 24 de maio, 30/05/2018)

Baunilha

Não sei Não sei o que faço com seu cheiro de baunilha, com sua ranhetice, com sua vermelhice Não sei o que faço com o tempo, com sua decisão ou com sua indecisão Não sei o que faço do agora do que já foi ou do está sendo Me disseram que está sendo só pode estar sendo na nossa língua. “Só sei que nada sei” é velho, mas está sendo Só te peço, por favor, nunca duvide da veracidade do nosso agora, é sincero, juro! Só é um momento grande, confuso, extenso demais pra entender, mas é verdadeiro Meus olhos nos seus olhos, aquele instante existiu... Só é um mundo louco num momento grande e louco e eu não sei o que fazer, antes eu achava que sabia mas, nada era tão intenso... Meu poeta, me desculpe, por favor, esse mundo tão este, é novo demais pra mim, não sei o que fazer...mas tá rolando verdadeiramente. Não me odeie, só sou/estou perdida em tanto.
SP, 16/05/18

Tangível

Por Richard Piccoli, Brenda Ligia e Cax Nofre

Que o que tange seja tangível O pulso que ferve quente. Lúdico. Místico. Na tarde, agora, quase aurora... É só seguir a intuição Vinho, flores, meia luz Não sei o que faço do agora, Mulher! Por certo, incerto Acerto, de certo Dance, dance, dance VAMOS MUDAR DE RUMO, por favor. Eu achei que morreria jovem... Demorei pra começar a viver Sacanagem, pilantragem Contagem, apenas. A paz, o encontro das águas Você... Bonita como diamantes no céu Êxtase Antes da saída Ou depois: Me siga E nada sabe Nem o que sabe

O que são namorados?

São encontrados são pirados, emaranhados Linkados, entrelaçados quase grudados
Sinônimos Antônimos Atônitos Binômio
São saudade ansiedade São abraços laços São passos
eira beira teia meio
Passos dados Lado a lado Caminhadas São estradas
Caminho Ninho Destino Pergaminho
Namorados São pirados Alados Lado a lado.